segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Bem vindo ao café com porquinho!


24h atrás, debaixo de chuva ela tocou o interfone. Nunca lembrava o número do apartamento, toda vez que ia até lá tinha que perguntar qual era, mesmo depois de quase 4 anos. Subiu e quando chegou um sorriso, um abraço e um café a esperavam.
Conversaram e conversaram, aqueles papos de cozinha, de café, e depois foram para o quarto ter as conversas mais divertidas, trocar os segredos. Coisa de quarto, não de cozinha. Risos, surpresas, planos, agenda e porquinho. Duas crianças felizes, agora com agenda e porquinho.
Depois de muito esperar a boa vontade da internet foram ver filme cult francês, Welcome, e desejaram que alguém nadasse por elas. Não alguém qualquer, dois alguéns especiais, e cada uma foi dormir sorrindo porque sabiam que tinham alguém especial. Alguém pra nadar por elas.
Não teve manhã no outro dia, a manhã foi ocupada pelo sono. Também não teve almoço, o almoço foi ocupado pelo café da manhã, dessa vez com leite desnatado, cerejas e queijo, muito queijo.
Pouco depois era hora de ir, debaixo da chuva, a mesma que caia quando ela chegou. Foi embora e ganhou de novo sorriso e abraço, o café tinha acabado, mas o sorriso e o abraço sempre estariam ali.



•••


Só uma pessoa vai entender direito o texto, mas a homenagem é pra ela mesmo. Você é linda amiga!

Um comentário:

Rafinha disse...

Eu te amo, amiga! Vc tem que vir mais vezes tomar café com cerejas! :D